terça-feira, 26 de agosto de 2008

URINA DE VACA

Cattleya guatemalensis Foto e cultivo Carlos Keller

Pode parecer estranho, mas o uso de urina de vaca está sendo uma prática constante nos orquidários e outras plantações. Mas por que a urina de vaca? Para que serve? Os orquidófilos garantem ser um sucesso!
Temos uma matéria da Pesagro-RJ que achamos por bem reproduzi-la. Vejam que interessante!


Por possuir vários nutrientes, a urina é útil como fertilizante e, por causa
do cheiro forte, atua como replente de insetos. Como fertilizante a urina
precisa ser diluída 1% (1 litro de urina para 100 litros de água) e fazer
pulverizações semanais em hortaliças ou a cada 15 dias em frutíferas. Ou,
ainda, no solo, junto ao pé da planta, diluída a 5% (5 litros de urina para
100 litros de água). A urina deve ser recolhida em um balde e guardada por
três dias em um vasilhame fechado antes de ser usada. Pode ser guardada um
ano em vasilhame fechado.

Urina de vaca distribuída como brinde

Brasília, 16 (Agência Brasil - ABr) - Um dentre os vários brindes distribuídos na exposição Ciência para a Vida, promovida pela Embrapa, despertou a curiosidade dos visitantes, a urina de vaca. Pode parecer estranho presentear as pessoas com um frasco contendo urina animal, mas essa foi a forma encontrada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Estado do Rio de Janeiro (Pesagro) para divulgar as pesquisas efetuadas na instituição
para o aproveitamento da urina de vaca como fungicida e na produção de plantas mais resistentes.
Segundo os pesquisadores, a urina é um substituto natural aos agrotóxicos e adubos químicos utilizados na agricultura. Ela é composta por substâncias que, reunidas, melhoram a saúde das plantas, tornando-as mais resistentes às pragas e doenças. A urina é rica em potássio e em priocatecol, um aminoácido que fortalece os vegetais. Em sua composição também são encontrados cloro, enxofre, nitrogênio, sódio, fenóis e ácido indolacético.
Na Estação Experimental de Itaocara, Rio de Janeiro, onde os experimentos estão centralizados sob a coordenação de Ricardo Gadelha, a urina foi utilizada, inicialmente, para combater a fusariose, doença que ataca as plantações de abacaxi e que pode provocar perda de até 40% para os produtores. Com o avanço dos testes, verificou-se que o produto evitava outras doenças provocadas por fungos em culturas diversas. Já foram realizados estudos que revelaram aumento de produção no cultivo de frutas,legumes, hortaliças e também plantas ornamentais.
Para cada cultura, há uma dosagem específica da mistura. Nelcyr Guimarães, um dos pesquisadores da Pesagro envolvidos no trabalho, explica que dosagens de urina maiores que as indicadas podem causar danos às plantas. Em culturas de legumes como quiabo, jiló e berinjela, o litro de urina deve ser diluído em 100 litros de água e pulverizado sobre a plantação uma vez a cada quinze dias. Para as frutas o procedimento é diferente. No abacaxi, por exemplo, pulveriza-se a mistura com a mesma dosagem uma vez por mês, durante os primeiros quatro meses. Depois, aumenta-se a quantidade de urina para 2,5 litros para cada 100 litros de água, continuando a aplicação mensal. O procedimento deve ser suspenso dois meses antes da indução da floração, retornando a partir do vermelhamento do fruto.
A idéia de se aproveitar a urina de vaca surgiu a partir de reivindicações de pequenos produtores rurais fluminenses, para que a Pesagro desenvolvesse ações que aumentassem a produção com redução do uso de agrotóxicos. A urina de vaca resolve as duas questões, inibindo o uso de defensivos químicos e aumentando o número de brotações, de folhas e de frutos. Sendo um produto natural, não causa riscos à saúde do produtor e do consumidor. Outra vantagem apontada por Guimarães é o atraso na maturação dos frutos tratados com a mistura. "Chegando ao mercado na entressafra, esses produtos gerarão mais lucro a seus produtores", diz o pesquisador.
A urina já é usada, com resultados satisfatórios, por produtores rurais do Rio de Janeiro, São Paulo, Bahia e Minas Gerais. Quando fala das pesquisas para os visitantes da exposição, Guimarães costuma brincar dizendo que o mais difícil de tudo é fazer a vaca urinar dentro do recipiente. Brincadeiras à parte, o procedimento de coleta do material é simples e deve ser feito na hora de tirar o leite. Ele explica que é normal o animal urinar quanto tem as pernas amarradas para a ordenha, sendo esse o momento ideal de coleta. O líquido deve descansar por três dias, estando bom para manipulação após esse período. A validade do produto é de dois anos. (Hebert França)

© Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte

Fonte: Pesagro - RJ

Enviada por nosso amigo Mariotti em 25.10.2004- ttimario@ig.com.br

3 comentários:

maria tereza disse...

to forA

goSto de coisAs prfumDAS

Devanis disse...

Parabens pela matéria. Ela muito importante porque demonstra que existem pessoas preocupadas com as coisas naturais, e tambem muito importante para os produtores rurais com menos custos na produção, sem contar que o consumidor so tem a ganhar.

Anônimo disse...

a-urina-do-coelho-tambem-tem-as-mesmas-substancias-que-a-urina-da-vaca?