domingo, 24 de agosto de 2008

Catasetum


A família Catasetinae inclui o gênero Catasetum, Clowesia, Cycnoches, Dressleria e Mormodes, totalizando cerca de 150 espécies.
As Catasetinaes têm um crescimento simpodial e possuem duas políneas.
São as únicas, dentro da família das orquidaceas, a possuirem flores unisexuadas. Plantas hermafroditas, ou seja, possuem os dois sexos, podem apresentar flores do sexo masculino, feminino ou ambas na mesma planta. No entanto só as flores masculinas são possíveis de identificação. Estas flores são vistosas, coloridas e exóticas, já as flores do sexo feminino são verdes e morfologicamente muito semelhantes.
Do grego katá, prep. que indica direção de cima para baixo, e do latim seta, seda (cerdas) de porco, javali. Na Botânica usa-se essa palavra para significar pêlo áspero. O nome prende-se as duas antenas (ou apêndices) próprias das flores masculinas, que arrancam da parte inferior da coluna e funcionam como um verdadeiro gatilho. A um simples toque realiza-se o disparo da antera, que gruda fortemente sobre o dorso de um inseto, por exemplo, um dos agentes inconsciente da polinização.
O gênero Catasetum possui mais de cem espécies, a maior parte epífitas, cujo hábitat se estende do México à Argentina, mas o centro de irradiação é o Brasil.
Segundo o orquidófilo Robson da Silva Lopes as Catasetineas são terrestres ou epífitas. Apresentam dois períodos de desenvolvimento bem distintos, o primeiro que vai do início do crescimento do broto até a queda das folhas (vegetativo), o outro da queda das folhas até o início da brotação (dormência). É no início da fase vegetativa que devemos tomar muito cuidado com a irrigação, ataque de fungos e pragas, pois podem comprometer o broto e também a floração, que varia muito de acordo com cada espécie. São plantas com pseudobulbos de tamanhos variáveis, roliços e carnosos. Suas folhas são grandes, arqueadas, largas e com bainhas envolvendo o pseudobulbo. É normal as folhas caírem no período de seca. Suas inflorescências nascem em diversas partes do pseudobulbo.
É na fase de crescimento que devemos usar um adubo de formulação 10-10-10 ou 20-20-20 semananlmente. É também nesta fase que devemos observar o ataque de pragas, fungos e doenças como a podridão negra.
Para se ter um Catasetum sadio aplicar preventivamente produtos a base de enxôfre e cobre de 40 em 40 dias e receitas caseiras a base de citronela, pimenta, alho ou neem.

Texto e foto: Vera Coelho
FONTES: Dicionário etimológico das orquídeas do Brasil – Pe. José Gonzales Raposo
www.edmourao.atspace.com/index.html - Edgar Mourão
http://catasetums.blogspot.com
http://delfinadearaujo.com

4 comentários:

Binho disse...

Vera parabéns pelo Blog e pela reportagem sobre os Ctsm...Isso é ótimo, pois através da divulgação podemos ajudar a preservar esse maravilhoso gênero...
Um abraço
Robinho
---
Robson da Silva Lopes

Adenium - Rosa do Deserto disse...

Obrigada Robinho, todos juntos construiremos este blog, divulgando todos os gêneros e espécies, inclusive os Catasetuns que são os mais exóticos.
Abraços,

Vera Coelho

Romildo Martins Junior disse...

Ola pessoal tudo bem com vcs?estou aprendendo muito com as informações q estão disponiveis na net sobre os ctsns, graças a vcs q naum medem esforços para divulga-las,tirando sempre nossas duvidas...como faz com tanta dedicação esse grande amante do ctsm...o Dan
Parabens a todos vcs...abraços Junior

Adenium - Rosa do Deserto disse...

Romildo,
Sou fã de carteirinha do Dan. Um dia me deslocarei até Belém para ver de perto sua coleção de Catasetum, um gênero que muito admiro. Obrigada pela visita. Vera