quarta-feira, 18 de março de 2009

E lá vamos nós para mais uma viagem.

Sexta-Feira 13, geralmente as pessoas ficam em casa, principalmente as superticiosas. Mas nós (eu, Juliana e Teresinha) enfrentamos mais de 700 Km de Fortaleza à Natal. De Assu até Lajes, uma chuva torrencial, que nos obrigou a parar o carro, por não conseguirmos ver mais a estrada.





Chegando em Natal fomos para casa da amiga Cecília, que nos aguardavamos com muita ansiedade. Ficar em casa, nem pensar, nos arrumamos para jantarmos em um restaurante e escolhemos o Mangai. Como já era tarde, optei por canja de galinha, mais leve para dormir. As meninas preferiram uma comidinha. A Cecília não teve a mesma sorte, a comida não desceu bem e passou mal. Felizmente o restaurante deu toda assistência, nutricionista, médico e até motorista para nos deixar em casa. Na manhã seguinte fomos para exposição de orquídeas do Círculo Potiguar de Orquidófilos. Lá montamos nosso stand de vendas de Adenium e Flor de Cera (Hoya). A Juliana tomou à frente das vendas, afinal é jovem, bonita e leva jeito. Ela disse que só vende quando estamos longe. Não seja porisso Ju, então eu e Teresinha saimos de perto. rsrsrsrs Fomos ver as orquídeas e reencontrar os inúmeros amigos. Tive o prazer de conhecer a Dilma, ex-Presidente do CPO. Uma pessoa maravilhosa e de um gostoso papo. Revi Esmeralda, Selene, Jerson, João Felizmino, Dr. Benardino e tantos outros. Reencontrei meus amigos de Fortaleza, o Rogério, Kalina, Edmilson e Italo, este convidado a participar do corpo de juízes da exposição.
A caravana de João Pessoa foi a maior, Hugo, Judite, Fátima, Eridan, Toshio, Jarbas, Conceição e tantos outros chegaram para comprar e apreciar a mais bela das flores, a orquídea. De Recife, Lindon, Presidente da ASSOPE e Sr. Antonio, com as respectivas esposas. De Maceió, a Esterpaula também veio prestigiar esta exposição. Fomos ver as orquídeas, fotografar uma a uma. Esta Cattleya labiata estava de chamar à atenção, muito bem armada, plena, de melhor forma. Com certeza tinha lugar no pódium.






Esta Prosthechea cochleata ganhou como melhor espécie estrangeira. Outras categorias também tiveram destaque, como o Coilostylis ciliare de minha amiga Helena Bensadon que tirou primeiro lugar em Espécie Nacional. Já a representante do Rio Grande do Norte ganhou uma Brassavola tuberculata, também muito bonita.






Na foto os três juízes: Hugo Albuquerque (João Pessoa-PB, Lindon Barros (Recife-PE) e Italo Gurgel (Fortaleza-Ce.)

Algumas não chegaram ao pódium, no entanto esbanjaram beleza, como esta Bifrenaria tetragona, muito bem cultivada em seixo rolado. Abro um parêntese aqui para dizer que tenho várias Bifrenarias e que ainda não tive a felicidade de vê-las floridas. Qual seria seu segredo? Hei de descobrir.
O desafio continua.






Sou apaixonada pelo gênero Bulbophyllum e não poderia deixar de registrar este. A espécie não estava identificada e tenho dúvidas qual seja. Muito bonito! Cecília acha que seja o B. maykoianum.



O outro lado das orquídeas, as amizades. Num encontro como este vale pela troca de experiência, as visitas em orquidários, os abraços recebidos, a alegria contagiante em cada pessoa que encontramos.

Aqui no cantinho de trabalho da simpática Helena, que nos recebeu com um cafezinho. Seu orquidário é muito bem organizado, separado por setores. Tem as Vandas, Cattleyas, Catasetum e muitas outras orquídeas. Fotografei a Renanthera coccinea florida. Vejam que linda! A Helena, como todo orquidófilo tem também suas raridades, suas jóias guardadas a sete chaves, como esta Aspasia lunata alba.














Foi mais uma viagem maravilhosa que fizemos. Já estamos torcendo para chegar junho para irmos à Rio Claro-SP, onde encontraremos muitos amigos do Brasil e exterior. Em setembro tem João Pessoa e em outubro Recife. Não custa sonhar, assim alimentamos nosso ego. Vera Coelho

8 comentários:

cecilia disse...

Vera, é incrivel como tem uma memoria fotografica, descrever com tanta autenticidade tudo que aconteceu, sem nenhum caderninho na ho para anotar, pelo meno, isto não vi.
Esse bulbophylum, que voce não tem a ID, acho que é o B. maykoianum. Como não me liguei muito na registro não tenho certeza, mas acho igual ao meu.
Quando quizer voltar a Natal não exite em renovar-me a alegria de lhe acolher novamente, mesmo que seja no mesmo "armazem" rsrsrs
Beijão, extensivo a JU e a Terezinha.
Ciça

Adenium - Rosa do Deserto disse...

Olá amiga, essa viagem foi fantástica, muitos encontros, velhos e novos amigos. Apesar da memória não ser a mesma de 30 anos atrás, consigo captar todos os detalhes com o coração, que está em plena forma.
Este Bulbophyllum estava sem identificação. Será que é este mesmo, igual ao seu?
Grande abraço e obrigada pelo "armazem" e pelos presentinhos. Bjos, Vera

Maria de Fátima disse...

Vera, tão grande foi o prazer de encontrar os amigos, quanto o de apreciar a beleza das flores, logo isto se confunde e não consigo enteder o q me dar mais prazer, e em especial nesta viagem, encontrei vc a Ju, visitei outros que tbm são muito queridos. foiii muito bom, bom mesmo
abraços beijos tbm p a Ju.
fátima pereira

Juliana disse...

Muito bom viajar e principalmente rever os amigos.
Cecília obrigada pela acolhida e presentes.
Beijos a todos e obrigada por visitarem sempre o nosso blog, fiquem a vontade sempre para olhar, pesquisar e fazer os comentários.

Beijooossssssss.

Adenium - Rosa do Deserto disse...

Fátima querida, também quero dizer do prazer imenso em tê-la conhecido, você e seu controlador, rever os amigos de João Pessoa, da minha querida APO. No próximo sábado, na reunião mensal da ACEO, irei com a camiseta que vc me presenteou. A APO é minha família, amo tanto quanto a ACEO.
Beijinhos,
Vera

J.F. disse...

Vera, querida.
Beleza de reportagem! E estamos esperando por você, aqui em Itatiba/SP, para a viagem a Rio Claro e Campos do Jordão. A Ju virá depois? Pode vir em agosto para a exposição de Vinhedo/SP que deverá ser remarcada para esse mês, após nossos entendimentos com a Prefeitura Municipal.
Beijão a vocês.

Adenium - Rosa do Deserto disse...

Olá JF,
Obrigada pelo carinho de vocês. A viagem foi maravilhosa e mais ainda a acolhida. O que as orquídeas não fazem! Lembra daquele slogan: "Cultivando orquídeas e amizades".
Já estou de passagem comprada para Rio Claro e vamos sim para Campos do Jordão. A Ju vai escolher uma outra exposição para ir, no segundo semestre.
Aguarde contato.

Abraços,
Vera

Devanis disse...

Adorei a postagem. Vera eu estou procurando informações sobre cultivo de brifenaria, mas, não estou encontrando algo que possa definir o seu cultivo. É que ganhei umas mudas, que na época apresentavam folhas amareladas, dando a imprensão de serem rupícula, porem ao cultiva-la(sombrite 50%, substrato casca de pinus mais brita e adubada com farinha de osso), suas folhas se tornaram verde escuro, elas são nativas daqui do meu estado(ES). Estou com esse dilema devido a sua variedade de habitates. Gostaria de saber se você não teria alguma dica sobre como cultiva, caso tenha, ficarei-lhe muito grato. Abraços.